Menu Site
 Por: Amanda Demétrio, Agência Indusnet Fiesp
29/11/2018 11:17 - atualizado às 11:25 em 29/11/2018

Como já era de se esperar, a final do Campeonato Paulista de Polo Aquático masculino foi decidida nos detalhes e com muita emoção. Na noite desta quarta-feira (28 de novembro), o grupo do Sesi-SP entrou na piscina da Vila Leopoldina para mais uma decisão estadual contra o Esporte Clube Pinheiros e levou a melhor ao superar o adversário nos pênaltis. Com o placar de 13 a 11 (9 a 9 no tempo normal e 4 a 2 nos pênaltis), os comandados do técnico André Avallone conquistaram o quinto título paulista.   

Primeiro esporte de rendimento implantado no Sesi-SP, que teve início em 2008 com as categorias mais jovens, hoje o polo aquático da indústria é referência na formação esportiva. Revela nomes como Rudá Franco e Cirilo, alguns dos principais atletas do Sesi-SP e do Brasil. Nesses 10 anos de investimento, a modalidade conta com títulos nacionais e internacionais em diversas categorias.

“Nós trabalhamos durante toda temporada de olho não só na formação e desenvolvimento dos atletas, como nas conquistas dos campeonatos. Ano passado esse título escapou, mas hoje conseguimos recuperá-lo, e estamos muito felizes. O grupo está de parabéns pelo resultado de hoje. Começamos atrás, mas em nenhum momento deixamos de buscar o resultado, e esse é o espirito”, comentou o treinador André Avallone.

Depois de passar pelo time da ABDA pela semifinal por 16 a 5, o grupo da capital paulista se classificou para a sétima final consecutiva no Campeonato Paulista. O Pinheiros precisou superar o Paulistano na outra chave. E como todo clássico entre Sesi-SP e Pinheiros, o confronto desta quarta-feira manteve o que é de praxe e só foi decidido no último chute.

Com gols do capitão Rudá Franco, Beto Freitas, Gabriel Bellio, Pedro Borges, Bernardo Reis, Arthur Salgado e Marcos Paulo, o time da Vila Leopoldina ainda contou com a força do goleiro Cirilo do outro lado da piscina para garantir o título. Muito querido não só pelos companheiros de equipe como pela torcida, o goleiro defendeu chutes importantes do adversário e nos pênaltis fechou o gol, pegando uma bola importante.