Menu Site
 Por: amanda Demétrio, Núcleo de Comunicação
28/01/2019 14:34 - atualizado às 09:26 em 29/03/2019

A piscina do Sesi Vila Leopoldina pegou fogo no último final de semana com confrontos emocionantes e decididos nos pênaltis. Após conquistarem uma vaga para o Mundial de Esportes Aquáticos 2019 ainda na semifinal, a seleção brasileira masculina de polo aquático retornou para piscina na tarde deste sábado (26), na disputa da grande final da Copa Uana. No confronto contra os Estados Unidos, melhor para o Brasil, que com o empate em 9 a 9 no tempo normal venceu a disputa por pênaltis por 3 a 1.

O grupo brasileiro comandado pelo técnico André Avallone e com o auxílio de Renan Rossin, contou com mais quatro nomes do Sesi-SP: Arthur Salgado, Roberto Freitas, Bernardo Reis e Gustavo Coutinho, que retorna ao time da indústria após sete anos. Presente na Leopoldina em 2011, quando o Sesi-SP inaugurou a primeira piscina oficial de Polo Aquático da América Latina, o atleta se diz muito satisfeito com o retorno.

“Estou muito feliz em voltar a fazer parte do Sesi-SP esse ano. Já conheço praticamente todos os jogadores, já joguei com a grande maioria na seleção e em outros clubes. Estamos em um ano muito importante para nós, é um período pré-olímpico, com Pan-Americano que vale vaga para Olímpiadas. O Sesi-SP tem uma das melhores estruturas, além da piscina, contamos com uma parte complementar, fisioterapia, nutricionista, psicóloga a disposição de todos nós, e isso faz muita diferença no desenvolvimento e evolução do atleta”, comentou Gustavo, que ainda lembrou sua passagem em 2011.

“Eu tenho uma história muito feliz com a piscina do Sesi-SP porque fui uma das primeiras pessoas a entrar nela em 2011. Eu jogava no Sesi-SP quando foi inaugurada e hoje é muito gratificante estar de volta onde minha carreira profissional começou”, explicou o atleta que tem passagem pelo Paineiras, Sesi-SP e recentemente defendia o Paulistano.

Satiro Sodré/SSPress/CBDA
Satiro Sodré/SSPress/CBDA

 

Recém-campeão da Copa Uana com o polo aquático brasileiro, título conquistado em casa, Coutinho só pensa em evoluir ainda mais no Sesi-SP e seguir levando todo seu conhecimento nas competições internacionais.

“Chegar no Sesi-SP jogando pelo Brasil e em casa, com a nossa torcida, foi sensacional. Por ser um ano de Pan-Americano, essa vitória da Copa Uana contra equipes como Canadá e EUA, que são nossos principais rivais, é muito importante para ditar o ritmo de como vai ser os campeonatos durante o ano. A gente ganhar esse campeonato mostra que o Brasil vem com uma renovação muito forte no cenário das Américas. É um bom momento para nossa modalidade, e torcemos para que isso traga mais investimento para o polo brasileiro”, finalizou.

O torneio, que reuniu quatro países no masculino (Brasil, Argentina, Canadá e Estados Unidos) e três no feminino (Brasil, Canadá e Cuba) serviu como seletiva para o Mundial que acontece no mês de julho em Gwangju, na Coreia do Sul. Na busca por uma das duas vagas por naipe, o grupo masculino do Brasil iniciou a primeira fase da competição internacional com um revés contra o Canadá por 15 a 12 e para os Estados Unidos por 15 a 4, contra a Argentina veio a primeira vitória do grupo com 13 a 3.

Nas semifinais, o Brasil venceu o Canadá por 15 a 5, garantindo sua vaga para o Mundial. Além do Brasil, os Estados Unidos também obtiveram vaga para a competição na Coreia ao baterem a Argentina por 21 a 2. Mais tarde, nas disputas finais, o Canadá levou a melhor contra a Argentina e garantiu a terceira colocação. Os Estados Unidos ficaram com o segundo lugar enquanto o Brasil ficou com o título e as premiações individuais de melhor goleiro (Slobodan Soro) e melhor jogador, MVP (Gustavo "Grummy" Guimarães).

No feminino, o time brasileiro, que contou com duas atletas do Sesi-SP, Júlia Cardoso e Yasmin Ferraz, acabou superado pelo grupo de Cuba nas semifinais e ficou com a terceira colocação da Copa Uana. As cubanas fizeram a final com o Canadá e terminaram o torneio em segundo lugar, enquanto as canadenses sagram-se campeãs. As duas equipes finalistas também garantiram a vaga para o Mundial de Esportes Aquáticos.

Satiro Sodré/SSPress/CBDA
Satiro Sodré/SSPress/CBDA