Menu Site
Genero: Palestra
Grupo: Peter Pál Pelbart e Marici Salomão
Vários pensadores do século XX ressaltaram a que ponto a escrita literária é uma aventura que nos desloca de tudo o que é familiar na linguagem. O escritor inventa uma língua estrangeira na própria língua. Isso vale para Guimarães, para Clarice, para Leminski. Para não falar de Kafka, Joyce, Beckett. Com eles, a linguagem deixa de reiterar códigos já prontos, sentidos cristalizados, e de ser obra de um sujeito, e nos abre para um nomadismo imponderável, onde o que menos importa é o autor. Os sentidos vacilam, as palavras racham, novas visões e audições tomam conta do leitor, e o próprio escritor se vê arrastado a uma aventura da qual ele é apenas um veículo. É toda uma outra dramaturgia que se anuncia, onde aquilo que era só lido se desmancha, o que era rígido se movimenta, o que parecia morto pulsa, o que parecia dominante desvanece. É outra relação entre vida e linguagem. Autores como Blanchot, Deleuze, Foucault, pensaram a fundo o estatuto da literatura nessa perspectiva, e com isso iluminaram características cruciais do pensamento contemporâneo.

Após o encontro de abertura, o público é convidado para o coquetel de lançamento do livro Sala de Trabalho de Marici Salomão e dos textos da 9ª turma do Núcleo de Dramaturgia SESI-British Council, em dois volumes, pela SESI-SP Editora.

Mais informações

Conheça a programação em sua região

OUTUBRO 16 ter 20:00