Menu Site
Curadoria: Elisa Byington
A exposição ressalta a importância e a influência do pintor renascentista Rafael

O Renascimento foi uma época excepcional para a história da humanidade que deixou incomparável legado de realizações nas artes e na arquitetura. Rafael de Urbino (1483-1520), o mais jovem da trindade encabeçada por Leonardo da Vinci e Michelangelo, foi considerado o mais perfeito, o maior representante da chamada Idade de Ouro do Renascimento.

A arte de Rafael combinava com maestria as formas da Antiguidade Clássica e a expressão intensa da natureza humana, definindo um novo ideal de beleza.

Não é mais a beleza exata da proporção matemática que havia orientado o gosto do século anterior. A nova beleza é contaminada pelo julgamento subjetivo que avalia a doce expressão dos sentimentos, o colorido harmonioso, a maciez do contorno dos corpos e a naturalidade da articulação entre as figuras, a variedade das fisionomias e a elegância dos gestos, que será chamada de “graça” pela crítica da época.

Para a extensão da sua influência, foram decisivas as práticas adotadas por ele na última fase de sua carreira. A criação de desenhos para gravuras e tapeçarias fez suas composições inovadoras viajarem pela Europa e serem reproduzidas não apenas na pintura, mas também nas artes aplicadas até a ruptura com a tradição clássica no século XIX.


Conheça a programação em sua região

de 19 de setembro - até 16 de dezembro
Terça-Feira, Quarta-Feira, Quinta-Feira, Sexta-Feira, Sábado das 10:00 às 22:00
Domingo das 10:00 às 20:00